17/07/2019 às 18h43min - Atualizada em 17/07/2019 às 18h43min

Enxaqueca atinge 15% da população e é a sexta doença mais incapacitante



De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a enxaqueca é a sexta doença mais incapacitante do mundo. O problema acomete 15% dos brasileiros, ou seja, cerca de 30 milhões de pessoas, é o que revela estudo da My Migraine Voice, promovido pela Novartis em parceria com a Aliança Europeia para Enxaqueca e Cefaleia (European Migraine and Headache Alliance). O levantamento mostra que 82% dos brasileiros portadores da doença sofrem impacto na vida social, sendo que para 72%, crises também têm efeito negativo nos relacionamentos amorosos.

Sainda como controlar

 
Caracterizada pela dor pulsátil em um dos lados da cabeça (às vezes dos dois), geralmente a enfermidade é acompanhada de fotofobia e fonofobia, náusea e vômito. A duração da crise varia de quatro a 72 horas. Pensando nisso, o neurocirurgião do Hapvida, Jackson Daniel, destaca a necessidade do acompanhamento profissional para que possa ser aplicado o tratamento adequado, de modo a evitar as crises. “Em grande parte dessas pessoas a doença se torna crônica, justamente por não fazer um acompanhamento adequado, um tratamento adequado, preventivo, e acomete uma parte economicamente ativa da população e isso impacta diretamente no fator econômico, o país deixa de gerar recursos, dias de trabalho perdidos por uma doença que realmente é preocupante”, indica.

O neurocirurgião do Hapvida sintetiza que a enxaqueca é um tipo de cefaleia, sendo que as cefaleias geralmente são classificadas como primárias e secundárias. “Primárias chamamos aquelas que não tem uma causa física específica, é um problema químico no cérebro, a enxaqueca se enquadra nesse tipo primário, não é um tumor, uma aneurisma, um trauma, uma infecção, é um problema químico no cérebro, uma inflamação no cérebro, e podemos prevenir isso, quando a gente consegue fazer com que os estímulos ao cérebro sejam feitos do modo adequado, para prevenir crises de dor, crises recorrentes, é uma inflamação principalmente nos vasos do cérebro”, disse.

BAIXE SEU GUIA
 
Jackson Daniel orienta que há uma série de medicamentos que os médicos aplicam no tratamento da enxaqueca, sendo que a indicação varia de pessoa a pessoa. A modificação nos hábitos e uma alimentação balanceada também são essenciais para evitar as crises. Porém, a automedicação nunca é indicada e pode desencadear um agravamento no problema. Assim, a busca por um especialista é indispensável.
 
Fonte: AI Comunicações
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp