30/07/2021 às 17h59min - Atualizada em 01/08/2021 às 20h16min

Equipe de rali leva proposta de disputar o Sertões com até R$ 100 mil

Com um orçamento de até R$ 100 mil, equipe Goodyear Trailway quer servir de inspiração para muitas pessoas que sonham em viver a aventura de competir no Sertões

DINO


Realizado há 29 anos, o Sertões - o maior rali cross-country das Américas -, será realizado entre os dias 13 e 22 de agosto, com largada e chegada de duas praias nordestinas: Pipa, no município de Tibau do Sul (RN) e Praia dos Carneiros, em Tamandaré (PE), respectivamente. O percurso terá 3.615 quilômetros, passando por sete estados: Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Pernambuco, Piauí, Bahia e Alagoas.

Nesta edição, serão 316 competidores em um grid composto por 192 veículos, sendo 68 motos/quadriciclos, 90 UTVs e 34 carros. Entre eles está a dupla formada pelo piloto paulista Luis Fernando Carqueijo e o navegador paranaense Igor Quirrenbach de Carvalho, que representarão a equipe Goodyear Trailway. Eles estarão a bordo de uma Mitsubishi L200 Triton R, calçada com pneus Goodyear Wrangler MT/R Kevlar.

Porém, mais do que competir, eles trazem para a 29ª edição do Sertões o projeto "Sertões de Zero a $100k" com o objetivo de mostrar que o sonho de participar do Sertões é uma realidade mais próxima do que muitos imaginam.

"Apresentaremos às pessoas que é possível fazer parte do segundo maior rali do mundo, com um orçamento de até R$ 100 mil; um valor relativamente baixo dentro do mundo automobilístico", esclarece Carqueijo.

As duplas que tiverem o sonho de experimentar o mundo do cross country poderão observar, durante os dez dias prova, as estratégias, as estratégias que a equipe Goodyear Trailway utilizará para isso. "É basicamente um resgate de como as pessoas disputavam o Sertões nos anos 1990, com uma estrutura enxuta, quase que 'na cara e na coragem'", conta o piloto. "É uma façanha que ninguém tentou fazer nas últimas décadas, ou melhor, ninguém se arriscou; com pessoas e situações reais, criando um desafio real", afirma o piloto.

Roteiro e objetivo

O projeto "Sertões de Zero a $100k" tem como meta concluir a competição, que terá nove etapas mais o prólogo - tomada de tempo que define a ordem de largada para a primeira etapa. As cidades anfitriãs são: Pipa (RN), Patos (PB), Araripina (PE), São Raimundo Nonato (PI), Xique-Xique (BA), Petrolina (PE), Delmiro Gouveia (AL), Arapiraca (AL) e Tamandaré (PE).

"Existem chances de conquistarmos um bom resultado, já que há disputa em diversas subcategorias da categoria Carros. Mas a nossa prioridade é levar a picape até o final da prova, permitindo uma participação com baixo custo, apenas como forma de realizar um sonho", explica Carqueijo.

Estratégia do projeto

Chegar ao final do Sertões, com o valor de investimento sugerido é o propósito do projeto "Sertões de Zero a $100k". Para isso, o orçamento conta com uma estratégia para utilizar um veículo de rali usado, em bom estado, adequado e preparado para o Sertões.

O carro escolhido foi uma Mitsubishi L200 Triton Sport R, especialmente desenvolvida para competições deste tipo. "De modo geral, a picape já vem preparada com os itens obrigatórios para o Sertões, diminuindo os custos com aquisições ou adaptações necessárias para este esporte", aponta o piloto.

E neste quesito está o principal segredo da viabilização do projeto, uma vez que o carro selecionado tenderia a custar mais que o orçamento de R$ 100 mil. "A Mitsubishi parcela a compra para aquisição deste veículo, e esta é a sacada. Os participantes compram o carro de forma parcelada, sem precisar desembolsar o valor total, utilizam a Triton para correr e depois colocam à venda. Assim, é possível ter o veículo ideal para participar, com um custo bem menor", especifica Carqueijo.

Para não extrapolar o valor determinado, o orçamento do projeto incluiu apenas os itens obrigatórios para a participação, dispensando o que é opcional. "O regulamento, por exemplo, exige um apoio mecânico formado por, no mínimo, uma pessoa e um carro (o que está dentro do teto). Caso queira levar uma segunda pessoa, esse custo não entra no valor do projeto (sendo ele financiado à parte). Os competidores precisam ter macacão, mas temos soluções para diluir essa despesa, como, por exemplo, a compra de usados ou locação. Nesta conta entram ainda valor de inscrição, custo de combustível, hotel, alimentação, entre outros", detalhou o piloto.

Os organizadores do projeto esperam que esta ação possa encorajar os amantes do rali cross-country a participarem da competição. "De modo geral, o mindset é que Sertões é algo inalcançável para a maioria das pessoas, sugerindo orçamentos milionários. Mas a ideia é mostrar que é possível participar do evento, com um orçamento bem mais enxuto e reduzido, sem muitas expectativas entre ganhar ou não, mas sim pelo prazer de estar lá e sentir esta emoção do Sertões", finaliza o piloto.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp